sábado, 10 de agosto de 2013

MV

Foi a primeira vez que fui a este festival e numa única palavra posso descreve-lo: Brutal!
Fiquei surpreendida com o cartaz, a razão pela qual me levou a comprar o bilhete de acesso aos três dias. 
Primeiro dia: 
  • Bush - Não conhecia, mas passei a adorar! Foi o melhor concerto da noite. O vocalista tinha muita energia em palco e realmente é um sex symbol (para quem tem 47 está muito bem conservado, nem quero imaginar na altura em que a banda foi formada..). A melhor parte foi quando o vocalista decidiu sair a correr do palco e foi para a parte do relvado cantar uma das músicas mais populares deles, aí é que toda a gente saltou, gritou, cantou e percebemos que ia ser um concerto memorável e foi! Eu que achava que o primeiro dia me ia desapontar acabou por me surpreender.

  • Smashing Pumpkins - Ai não gostei nada! Eu estava à espera de bem melhor, mas que desilusão! Que falta de energia em palco, que falta que comunicação com o público é que nem interacção houve.. Foi do género "pronto chegamos, vamos cantar umas musicas que o pessoal mais gosta porque já ganhamos o nosso para depois irmos embora". Ouvir o CD ou ouvir Smashing é mesma coisa, foi o que me deu a entender depois do concerto. 
Segundo dia:
  • James Morrison - Deu para passar o tempo até à chegada do David Guetta, cantou algumas músicas conhecidas e só cantou as animadas! Eu estava a contar com o concerto assim a cair para o deprimente com musicas lamechas e calminhas, mas revelou-se e deu para dançar e o senhor estava todo bem disposto e contente por estar em Portugal e disse 1028272662262662 que estava feliz por ter um público como o nosso e aos anos que estava à espera de tocar num festival desta dimensão. Para descrever a atuacção dele subscrevo as palavras do James "hippie song for hippie people". Pronto, gostei. 

  • David Guetta - Eu como ouço um pouco de tudo (rock, grunge, reggae..) também aprecio House (e quem me dera estar no Tomorrowland) e adorei. Já tinha visto quatro vezes o David mas este foi bem melhor, ele estava com muita energia até começou a dançar em palco ao som das músicas em vez de se limitar a levantar os braços como todos fazem. Cantei bem alto ao som das músicas dele (desde as mais antigas às mais recentes) e dancei tanto.. Então quando ele disse "Are You Fucking Ready?! Raise your fucking hands and jumppppppp" não me controlei e a dança tomou conta de mim. Oh David quero-te ver mais vezes assim. 

Terceiro dia:
  • Rui Veloso - Eu estava convicta que o senhor ia cantar músicas antigas, mas enganei-me e não fui a única! Ninguém conhecia as letras, tirando duas ou três.. Mas deu para entreter antes de entrar a banda principal. 
  • 30 Seconds To Mars - OH ADOREI! Ao tempo que já andava para ir ver uma das minhas bandas preferidas ao vivo e finalmente isso concretizou-se. Este era o último concerto da tour europeia deste ano deles e por isso foi mesmo em grande, havia balões enormes no ar, jatos de água, insufláveis, acrobacias para nos entreter na mudança de música, mas o principal foi a banda em si estar cheia de energia e com vontade actuar. O Jared passou o concerto todo a expressar um carinho enorme por Portugal e no início disse "Sabem porque  é que este vai ser um concerto mágico? Porque esta cidade é a mais mágica que eu já vi". O concerto estava a passar em directo nos Estados Unidos! O Jared decidiu fazer um directo e fazia-nos gritar e depois dizia "América estes são os portugueses e eu estou a adorar!". Pronto eu ainda tinha muita coisa para falar sobre os 30 mas estou com sono e um dia mais tarde quando as saudades deste concerto baterem cá dentro talvez retorne a "reportagem". 

video

(Fotografias e vídeos da minha autoria por favor não utilizem)

Publicação que estava em rascunho

Sem comentários:

Enviar um comentário